+55 (11) 2103-4545contato@virtualgate.com.br

Segundo pesquisa, consumidor espera lojas em promoção para presentear no Dia das Crianças

 

Em um ano de crise, o consumidor fica mais atento às promoções ou liquidações quando vai às compras. É o que mostra a pesquisa de expectativa de vendas para o Dia das Crianças 2015, realizada pelo Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista. Aplicado nas nove cidades da região, o levantamento mostra que 54% dos entrevistados priorizam produtos com descontos na hora de fechar negócio. Além do perfil do consumidor, a pesquisa também mostra a expectativa dos empresários para a data comemorativa.

A maioria dos entrevistados (38%) disse que o presente escolhido deve ter preço entre R$ 50,00 e R$ 100,00. Já para 31% dos consumidores, o orçamento para as compras das crianças compreende presentes entre R$ 101,00 e R$ 200,00 – enquanto 20% dos entrevistados pretendem gastar, no máximo, R$ 50,00. Itens entre R$ 201,00 e R$ 300,00 têm 8% de preferência e, acima de R$ 300,00, 3%.

Em relação à categoria de presentes que serão escolhidos, brinquedos correspondem a 67% das respostas, seguidos por roupas (34%) e calçados (14%). Também se destacam os itens livros (10%), jogos de videogame (8%) e produtos eletrônicos – como celulares e tablets (8%). Completam a lista de intenção de compra: artigos de informática (6%); artigos esportivos – como skate e patins (4%); perfumes (4%) e CDs e DVDs (1%). No questionário, os entrevistados podiam escolher entre uma ou mais opções de presentes.

Além das promoções e liquidações, que despertam atenção da maioria dos entrevistados, a escolha do presente é feita de acordo com o que a criança deseja ganhar (47%). Outros 25% dos entrevistados consideram essencial o bom atendimento na loja, enquanto que para 12% o chamariz é o ineditismo dos produtos no mercado. A decoração especial da vitrine conquista 9% dos clientes, enquanto 4% são atraídos por propaganda na TV, internet, revistas ou jornais.

Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista, Alberto Weberman, a pesquisa reflete a mudança no perfil do consumidor neste ano atípico. “Em tempos de crise, as pessoas pesquisam mais os preços antes de fazer a compra. Por isso, produtos com descontos atrativos são uma maneira de conquistar mais vendas neste ano difícil”, afirma.

Segundo os entrevistados, o cartão de crédito deverá ser a principal forma de pagamento para o Dia das Crianças, com 44% das respostas. Nas compras à vista, 42% dos clientes deverão utilizar dinheiro e 13% irão optar pelo cartão de débito. Cartão de loja parcelado foi a modalidade citada por 1% dos consumidores. Cheque e carnê registraram, juntos, índice abaixo de 1%.

Apesar de o comércio na internet crescer a cada ano no país, a aquisição de produtos em lojas físicas ainda é a preferida pelos consumidores da Baixada Santista: 34% disseram ter intenção de comprar em shoppings e outros 31% em lojas de rua – as compras em lojas online somaram 27% das respostas. Outros 27% dos consumidores se mostraram indiferentes e/ou não souberam opinar.

Os pais das crianças são os que mais deverão comprar: 72% dos entrevistados apontaram que são eles quem adquirem os presentes para os filhos. Já os avós vêm em segundo lugar, com 21% dos potenciais compradores e, em terceiro, os tios, com 7%.

Oferecer descontos é principal estratégia dos empresários 

A pesquisa também ouviu os empresários da região sobre a expectativa de vendas para o Dia das Crianças. E o comércio mostra estar atento ao que o consumidor deseja. Prova disso é que as promoções ou liquidações estão no topo das ações citadas para atrair mais consumidores nesta data comemorativa, com 63% das respostas.

A decoração especial de vitrines é uma estratégia lembrada por 54% dos entrevistados. Já a oferta de novos produtos foi citada por 29% dos lojistas, e a divulgação em redes sociais, por 27%. No questionário, os comerciantes podiam escolher entre uma ou mais ações de vendas.

Para 55% deles, as vendas em 2015 serão melhores que no mesmo período do ano passado. Já para 39%, o desempenho deverá se manter, enquanto 6% dos comerciantes creem na diminuição do faturamento.

Entre os lojistas que esperam aumento nas vendas, 31% deles estimam crescimento de 10%. Outros 20% dos comerciantes creem em faturamento 5% maior neste ano, enquanto 15% dos entrevistados são ainda mais otimistas e esperam crescimento de 20%. A faixa de aumento acima de 25% foi citada por 6% dos empresários, enquanto os índices 1%, 3% e 4% de crescimento foram estimados, cada um, por 5% dos lojistas.

O levantamento foi realizado entre os dias 9 e 23 de setembro de 2015, com 800 entrevistados, nas nove cidades da Baixada Santista. A pesquisa tem caráter quantitativo, pelo método de levantamento com amostra aleatória simples e estratificada.

Fonte: Diário do Litoral