+55 (11) 2103-4545contato@virtualgate.com.br

Consumidor vai gastar 12,8% a menos com presente

 

Em meio à crise, o consumidor da região planeja gastar bem menos com o presente para o Dia das Crianças na comparação com a mesma data de 2014. É o que aponta pesquisa realizada pelo Observatório Econômico da Universidade Metodista e divulgada ontem. Pelo levantamento, o preço médio gasto por produto comprado para a data é de R$ 153,40. Em 2014, foi de R$ 160,40, o que descontando a inflação acumulada, de 9,7%, significa uma redução de 12,8% no valor.

O total a ser gasto com compras para presentear filhos, sobrinhos e outras crianças da família, chegará a R$ 289, em média. Descontada a inflação, também é menos do que os R$ 283,70 no ano passado.

Apesar do aperto no orçamento, corroído pela inflação, muita gente não pensa em deixar de presentear nesse dia. A professora Mariana Araújo, 32 anos, moradora do bairro São Mateus, na Capital, que ontem pesquisava em loja no Centro de Santo André, para dar algo para seu filho Lucas, 9 anos. Ela pensa em uma Nerf, brinquedo de tiro ao alvo, para ele e planeja gastar, no máximo, R$ 130 com esse produto. “Neste ano está tudo mais caro. Mas ele é meu único filho, tenho que comprar, né? Não poderia deixar passar”, disse.

Outra consumidora, a enfermeira Evelin Poltronieri, 31 anos, que mora em Santo André, também foi ao comércio ontem, junto com sua filha Elisa, 4 anos. Ela também pensa em gastar valor próximo do apontado pela pesquisa, em torno de R$ 130. Ela viu alguns preços promocionais, mas considerou que as bonecas continuam caras. E reforçou que neste ano, as coisas estão mais difíceis. “Com essa crise, não dá para gastar muito”, afirmou.

PRESENTES – O estudo da Metodista aponta que os principais presentes deverão ser vestuário e calçados (15,9%), bonecas (14,5%), carro ou avião de controle remoto (7,8%) e bicicleta (5,4%). Este último item, que estava na terceira posição em 2014, perdeu espaço, com a crise, assim como o interesse por computador ou laptop, que estava entre os dez mais procurados no ano passado e agora está na 15ª colocação.

Outra mudança verificada foi na forma de pagamento. Ganhou destaque neste ano o cartão de crédito (42,6% das preferências), o que se justifica pela possibilidade de parcelamento. É seguido por dinheiro (28,2%) e cartão de débito (25,8%). No ano passado, o valor em espécie liderava.

Outro aspecto apontado na pesquisa é a menor disposição dos consumidores da região em ir a municípios diferentes do que residem para comprar presentes para a data. No ano passado, 32% manifestavam esse interesse. Agora, são só 24%.

MOVIMENTAÇÃO – O Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro, deve levar, em compras de presentes, R$ 58,8 milhões ao comércio do Grande ABC, segundo a pesquisa de intenção de compras para a data realizada pelo Observatório Econômico da Universidade Metodista.

Para 2014, foram projetados R$ 56,5 milhões, porém, descontando a inflação de 9,7% nos últimos 12 meses, a movimentação econômica deverá ter uma retração de aproximadamente 5% neste ano. De acordo com análise do Observatório da Metodista, é importante levar em consideração a atual conjuntura econômica da região. Nos 12 meses compreendidos entre agosto de 2014 e de 2105, o Grande ABC perdeu mais de 24 mil postos formais de trabalho e destes, mais de 14 mil foram na indústria, o principal setor gerador de massa de salários na região.

Pesquisa realizada pelo Seade/Dieese aponta que, levando em conta, além dos empregos com carteira, os informais e autônomos, só a área metalmecânica eliminou 32 mil postos nos últimos 12 meses.

Fonte: Diário do Grande ABC